Quarta-feira, 29 de Julho de 2009

Uma praia de betão

Também há.

Estive ontem. Eu e mais uns milhares!

 

publicado por Luís Peça às 10:42
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 20 de Fevereiro de 2009

Tsuro

Um destes dias, toda a família jogou Tsuro. Depois de um óptimo jantar, em casa da K.

 

É um jogo muito rápido, agradavél e com regras muito simples. E é muito bonito.

 

O Tsuro é um jogo de tabuleiro para dois a oito jogadores. Cada jogador seleciona uma carta da sua “mão” e coloca-a no tabuleiro para construir um trajecto que comece no limite do tabuleiro e viaje em torno do seu interior. O objectivo do jogo é viajar pelo trajecto, evitando que este termine na margem do tabuleiro, saindo fora e sendo eliminado. Ganha o úlitmo jogador a ficar no interior do tabuleiro.

 

 

 

 

 

 

Foi uma noite muito boa. Obrigado K. e P.

publicado por Luís Peça às 10:17
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 10 de Outubro de 2008

Adopção

 

Tenho amigos que estão radiantes porque finalmente vão adoptar ou já adoptaram uma criança. Estou muito feliz por eles e pelas crianças. São umas sortudas porque vão ter os meus amigos como pais.

 

Mas...


"A adopção é o vínculo que, à semelhança da filiação natural, mas independentemente dos laços de sangue, se estabelece entre duas pessoas". Portal do Cidadão

 

Foto de Lajla Borg Jensen retirada do banco de imagens gratuitasStock.XCHNG

 

E então...

 

Os adoptantes têm de visitar a criança, para a acompanhar no seu dia-a-dia, durante uma semana, antes da decisão final. A Segurança Social assim o exige. E muito bem.

Mas esta semana não tem cobertura legal no Código do Trabalho nem em lei nenhuma. 

 

Ou seja, os adoptantes faltam ao trabalho sem justificação, arranjam um atestado médico falso ou dependem da boa vontade do patrão. Para cumprir uma exigência legal do processo de adopção.

 

Os adoptantes têm direito a 100 dias de licença de adopção, mas a repartir pelos dois.

 

No caso do nascimento de um filho, a mãe tem 120 dias de licença de parto, que pode estender por mais 30 dias, sem remuneração.

O pai goza cinco dias quando o filho nasce e ainda tem direito a mais 15 dias (se abdicar do vencimento).

 

Em caso de adopção, o pai não tem direito a nada. Nem a um dia para ir buscar a criança.

 

Mas quem é que faz estas leis?

 

 

publicado por Luís Peça às 22:03
link do post | comentar | favorito

«Contempla-se o mar. À força de o vermos gastamo-nos nele, usamos por inteiro as suas quatro lembranças. Desconhece-se que delírio de ignorância nos vai arrebatar.»

Marguerite Duras, Vida Tranquila

.mais sobre mim

.tags

. todas as tags

.posts recentes

. Uma praia de betão

. Tsuro

. Adopção

.arquivos

. Junho 2011

. Setembro 2010

. Maio 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

.links

.pesquisar

 

.subscrever feeds

Pergolas
Pergolas
online

.últ. comentários

a bebida do caju é jambalau
Discurso motivador, interessante, sensacional; Waw...
O caju come-se quando está bem madurinho. Tem de p...
Era a lente. Já limpei.
Epá!!! Essa lente, ou esse sensor estão cheios de ...
Olá eu gostava de lhe perguntar uma coisa...tenho ...
Fica muito melhor!
HDR é sem dúvida uma técnica espectacular!
Sitio óptimo para andar descalço.
E esta fórmula serve exactamente para Administrar ...